sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Um ano termina...

E nasce outra vez! E la se foi 2011. Um ano louco, conturbado, cheio de acontecimentos. Um ano que não foi perfeito mas foi muito divertido, que algumas pessoas se afastaram mas outras maravilhosas se aproximaram, que houveram algumas decepções e também fui surpreendida.
Neste ano dei um voto de confiança ao meu coração. Deixei ele me guiar pessoal e profissionalmente e, apesar de alguns tombos, sigo em frente de cabeça erguida. Pessoas brigaram, fizeram as pazes, foram morar longe, votaram para perto e é sempre assim.
Alguns dias fiz um almoço delicioso, no outro queimei o arroz. Em um dia fui uma excelente profissional, no outro parecia que tinha alguém me segurando. Às vezes eu dava 100% de mim para ajudar os outros, mas no outro momento ficava egoistinha e pedindo em silencio que alguém fizesse por mim.
Sonhei acordada, voei alto, pensei longe. Fantasiei coisas impossíveis que continuam na fantasia, e outras tantas que pareciam impossíveis e se realizaram. Nunca tive os pés no chão, e esses sonhos que me movem ao infinito sem muita dor. Encho o peito de esperança e sigo em frente, o que for pra ser será. O que é meu está guardado.
E assim foi 2011, com alguns problemas, muitas alegrias, pequenas decepções e grandes conquistas. E assim será 2012, 2013... muda o século, mas não muda o homem. Somos imperfeitos e precisamos dos problemas para dar valor as conquistas, nada é 100% mas cada tombo acontece com um porquê.

Por isso desejo muita sabedoria, serenidade e bom humor. Com inteligência, calma e um sorriso no rosto podemos ir longe, podemos fazer de 2012 um ano ímpar, basta querer, correr atrás e desejar.


terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Se joga em 2012!

Nessa semana é impossível não fazer uma ‘retrospectiva 2011’ da vida, agradecer o que foi bom, tirar o que foi ruim e planejar o que quer para 2012.

Este ano para mim foi conturbado. Profissionalmente, agradeço a quem passou na minha vida, quem é especial continua no meu coração e nada vai tirar. Conheci pessoas maravilhosas que jamais vou esquecer. No final do ano fui abençoada por outras especiais, por meninas maravilhosas em um ambiente acolhedor que me fizeram lembrar o quanto é bom fazer o que a gente gosta.

Meus amigos? Ah, meus amigos. Esses são especialíssimos. Muitos e muitos churrascos em chácaras e apartamentos. Festas, pagode, bebida e muita risada. Alguns parece que ficaram no caminho, mas assim como o destino já fez tantas vezes, ele separou por suas razões e no momento certo essas pessoas vão voltar. Porque “a amizade é o amor que nunca morre”. E obrigada a quem, mesmo pensando diferente, continua do meu lado. Vocês sabem que são vocês, né?

Meu coração? Está feliz, está em paz! Está apaixonado, tranquilo e muito, muito agradecido. O destino me brindou quando eu nem esperava, não procurava e nem gostaria. Quando eu estava bem comigo mesma, ele me trouxe um complemento. E é sempre assim, né? E temos que abrir os braços e o coração, porque algumas pessoas são únicas.

E minha família? Família ê, família ô, família! Pois é, cada ano mais bagunçada e mais querida. Família que eu amo, cada um com seus defeitos e qualidades, suas manias, teimosias, esquisitices. Ta pra existir pessoas que são tão diferentes e que mesmo assim amamos do que família. Às vezes discordamos em tudo, mas são família. E apesar de tudo, a minha é especial!

E quem tentou me fazer mal? Quem quis me separar de quem eu amo, quem ainda torce para que eu me separe, quem desejou o pior mesmo no íntimo? Para essas pessoas desejo serenidade. Serenidade para pensar, olhar para si e buscar a própria felicidade. Quando estamos felizes com a gente, a felicidade do outro não atrapalha, e somada com a nossa ainda ajuda. Experimente!

Cada um que foi especial pra mim neste ano tem um espaço no meu coração. Que cada momento sirva de aprendizado, que cada etapa seja cumprida da melhor maneira possível.
Abracem sua família, seus amigos, seus amores, e cuidem de quem vocês amam durante o ano todo.
Pois o importante não é o que temos na vida, mas quem temos na vida.


quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Bê-a-bá do relacionamento

Parece óbvio, mas não existe regra em namoro. Cada um sabe da sua relação e o que é importante ou não, o que faz a diferença, o que deve ou não deve ser feito. Mas apesar de tudo, elaborei 10 dica que para mim são essenciais:

1.     Não me meto no teu pra ti não se meter no meu. Não de palpite furado no relacionamento alheio, ou você estará dando a liberdade de fazerem o mesmo com você. Isso também vale para comentários “nas costas” com maldade.
2.     Um casal deve ser amigo. Sim, um relacionamento não se baseia em sexo, portanto amizade e cumplicidade são fundamentais. Porém, entre o casal. Essa de contar detalhes dos outros para o namorado é a mesma coisa, abre precedente para fazerem o mesmo com você.
3.     A inveja tem sono leve, muito leve, por isso evite escancarar a vida do casal, principalmente na internet. As pessoas falam sim, se você der assunto vão falar ainda mais.
4.     De valor a sua família e amigos. Não digo isso para aquela famosa frase ‘porque quando acabar’, pois ninguém namora para acabar. É uma questão de gratidão mesmo, com quem sempre esteve do seu lado, de valor para essas pessoas.
5.     Cuide de você. Tem gente que começa a namorar e não se cuida. Ninguém quer alguém de qualquer jeito do lado, por isso continue com os cuidados que sempre teve, faça isso por você.
6.     Não invada a privacidade do outro. Olhar histórico de MSN, pegar senha de facebook, revirar SMS do celular? Isso não garante fidelidade. Antes de se conhecerem, cada um era um, e um pouco de privacidade faz bem para a relação.
7.     Não seja egoísta. Namorar é uma via de mão dupla. São duas pessoas, com seus amigos, sua família, suas prioridades. Abrir mão de algumas coisas de vez em quando faz parte, só é preciso tomar cuidado se apenas uma das partes faz isso.
8.     Agrade. Uma surpresa, uma mensagem, um presente fora de hora, dão um afrodisíaco em qualquer relação. Não espere apenas do outro, agrade você também.
9.     Não seja dependente. Sempre andou de ônibus? Sempre fez trabalhos sozinho? Sempre passou sua própria roupa? Cozinhou seu próprio almoço? Continue. As pessoas querem um companheiro e não um filho.
10.  E a mais importante: príncipe encantado não existe. Todo relacionamento possui crises, brigas, ciúmes ou qualquer outro problema que possa aparecer. Pese se vocês passam mais tempo felizes do que brigando e seja feliz!


    Essas dicas fiz com base no que vejo. Na minha relação, no que ouço me contarem (e reclamarem), e obviamente elas podem servir só pra mim.

    Dicas? Comente!



    “A arte de viver é simplesmente a arte de conviver ... simplesmente, disse eu? Mas como é difícil!”
    (Mário Quintana)


    quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

    A polêmica em torno da construção da usina de Belo Monte


    Hoje vou aliviar os assuntos femininos para falar de algo um pouco mais sério. A polêmica em torno da construção da usina de Belo Monte na Bacia do Rio Xingu, em sua parte paraense, já dura mais de 20 anos.

    Está rolando na internet dois vídeos sobre a usina. Eu conhecia apenas o primeiro, contra, de atores globais:




    Hoje assisti outro, que vi como 'o outro lado da história', que é uma resposta de alunos de engenharia civil e economia da Unicamp:




    Essa semana mesmo comentei com uma amiga sobre o assunto, que só com o primeiro vídeo eu não tinha uma opinião formada, que tinha que existir um outro lado nessa história toda e tudo mais. Pois é, o outro lado apareceu.

    terça-feira, 13 de dezembro de 2011

    Ainda não inventaram remédio para futilidade

    Já falei sobre futilidade antes, aqui . Mas esse assunto me faria escrever por horas.
    Quem me conhece sabe que eu adoro um bafão, adoro twittar, adoro estar sempre por dentro de tudo. Mas quando eu digo tudo, é tudo. Tem gente que sabe todo mundo que engravidou no último mês mas não faz a menor ideia do que tenha acontecido com o vereador Paese, ou pior, ‘quem é esse tal de Paese?’.
    Sabe quem curtiu a foto de quem no facebook, mas não sabe que sete ministros já caíram no governo Dilma, afinal, ‘o que são ministros? Caíram da onde?’. A pessoa sabe quem terminou o namoro no último final de semana, mas não entende porque a Sinimbu não tem mais carros estacionados.

    Ninguém precisa (e nem consegue) saber de tudo. Não faço nem um pouco a linha cult. Adoro um pagodinho, site de fofoca, redes sociais e passo horas rindo de memes na internet. Mas minha vida não se resume a isso. No meio de toda essa futilidade, preciso de um tempo para o que importa, e isso é por mim. Me sinto fora d’água quando não sei de alguma coisa, e corro pesquisar sobre um assunto quando conheço pouco e quero debater.
    Sim, isso é uma coisa minha, mas eu confesso que me incomodo com quem não é assim.

    E por isso, faço minhas as palavras de Arnaldo Jabor:

    "É melhor você ter uma mulher engraçada do que linda, que sempre te acompanha nas festas, adora uma cerveja, gosta de futebol, prefere andar de chinelo e vestidinho, ou então calça jeans desbotada e camiseta básica, faz academia quando dá, come carne.
    É sim prática, não liga pra grana, só quer uma vida tranquila e saudável. É desencanada e adora dar risada. Ruim é ter uma mulher perfeitinha, que não curte nada, se veste feito um manequim de vitrine, nunca toma porre e só sabe contar até quinze, que é até onde chega a sequência de bíceps e tríceps.
    Legal mesmo é mulher de verdade.
    E daí se ela tem celulite? O senso de humor compensa. Pode ter uns quilinhos a mais, mas é uma ótima companheira. Pode até ser meio mal educada quando você larga a cueca no meio da sala, mas e daí?
    Porque celulite, gordurinhas e desorganização têm solução. Mas ainda não criaram um remédio pra FUTILIDADE!"

    quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

    Batalha de egos

    Do alto dos meus 24 anos, já tive que conviver com pessoas muito diferentes. Definitivamente nunca todos irão agradar. Uns falam demais, outros de menos. Alguns são muito apressados, outros parece que não saem do lugar. Algumas pessoas estão sempre a frente e outras temos a impressão que pararam no tempo.
    Dentro de suas diferenças, as pessoas se encontram. Se aproximam de semelhantes, se identificam com opostos e todos, porque precisam ou porque gostam, vivem em boa convivência.
    O que não entendo são os egos. Ninguém é mais do que ninguém e isso pra mim é um fato. Enquanto alguns têm mais dinheiro, outros têm mais amigos, outros uma família mais unida e assim por diante. Cada um tem uma qualidade, um defeito e nas suas particularidades todos são especiais. Todos.
    Mas algumas pessoas têm um ego tão grande que cega. Que não percebe que o mundo gira, que a moeda troca de lado e que hoje quem precisa de ajuda um dia poderá ter que ajudar. E normalmente pessoas boas ajudam, até mesmo quem um dia as passou pra trás.
    Mas quem tem o ego grande? Bom, essas pessoas nunca ajudam. E até mesmo quando estão por baixo querem desmerecer os outros. Até mesmo quando precisam de ajuda tentam ‘virar o jogo’ para parecer que a coisa é ao contrário. Me desculpem, mas ego inflado eu nunca vou aceitar.
    Essas pessoas possuem um egoísmo fora do comum, são incapazes de reconhecer erros ou de pedir desculpa para quem quer que seja, e buscam todo tipo de argumento para justificar as suas razões. São pessoas que realmente acham que são superiores e que a cadeira delas nunca vai cair.
    Mas vejo o mundo girando tão rápido, que parece que um dia vai faltar espaço pra pessoas assim. É melhor que abram o olho enquanto é tempo.



    “Enquanto a cor da pele for mais importante que o brilho dos olhos, haverá guerra.”

    quarta-feira, 30 de novembro de 2011

    A terrível experiência do SUS...

    Ontem tive minha primeira (e espero que última) experiência no Sistema Único de Saúde de Caxias do Sul. Depois de dois dias com 40° de febre, resolvi ir no plantão. Aí vocês se perguntam ‘por que ela esperou dois dias pra ir no Plantão?’ porque eu sabia que iria passar por um atendimento precário e evitei até que deu.
    Cheguei e já vi diversas placas avisando que os médicos estão em greve (a mais de sete meses) e só atenderiam urgência e emergência. Depois de 2h de espera uma Técnica de Enfermagem me chama e me dá uma bronca porque tomei antibiótico por conta e me obriguei a responder: ‘A senhora me desculpe, mas o atendimento aqui é tão precário e a demora é tão grande que as pessoas tentam todas as alternativas antes de procurar atendimento’. Com cara feia, mediu minha temperatura, que no momento estava 39°, ela me passou para outra sala.
    Mais 1h de espera, com apenas uma médica atendendo, a ‘querida’ me chama e vou descrever minha consulta:

    Médica: O que você sente
    Eu: Tenho febre desde ontem de tarde
    Médica: Febre tem causa, qual a causa?
    (meu pensamento: se eu soubesse não tinha vindo aqui)
    Olhou minha garganta, não mediu minha temperatura novamente e me receitou alguns remédios.
    Eu: E se a febre não passar?
    Médica: Pode demorar até 10 dias
    Eu: Mas não vou aguentar ficar 10 dias com essa febre
    Médica: Pois é, mas é o tempo que o remédio demora para fazer efeito.
    Eu: Ok. Antibiótico corta o efeito do anticoncepcional, né?’
    Médica: Totalmente
    Eu: E quando ele para de cortar o efeito?
    Médica: No próximo ciclo
    Eu: Faço a pausa, quando começar de novo estou protegida, então?
    Médica: Não sei como você vai se organizar, querida

    Bom, eu já sabia que o antibiótico cortava o efeito, minha dúvida era até quando. Mas algumas pessoas não sabem, ninguém tem obrigação de saber e é dever dos médicos avisar seus pacientes. Aí as meninas engravidam com 14 anos e acham ruim, mas se a médica não avisa, o paciente acha que está tudo bem.

    Fui medicada e deveria buscar o restante dos remédios na Unidade Básica de Saúde do meu bairro, porém o primeiro deveria ser tomado às 3h da manhã, e lógico que entre 23h e 3h a UBS estaria fechada. Passei na farmácia e comprei o que precisava, mas logo pensei em quem não tem condições de comprar. Faz o que?
    Bom: o atendimento é precário, a espera é angustiante, a doação de remédios é uma farsa, e o absurdo da falta de vontade dos médicos é gritante.

    Por favor Sartori, o senhor precisa dar um jeito nisso!


    quinta-feira, 24 de novembro de 2011

    Quem não dá assistência, abre concorrência

    Na falta de inspiração para escrever, faço minhas as palavras do mestre Arnaldo Jabor:


    "Você homem da atualidade, vem se surpreendendo diuturnamente com o "nível" intelectual, cultural e, principalmente, "liberal" de sua mulher, namorada e etc.
    Às vezes sequer sabe como agir, e lá no fundinho tem aquele medo de ser traído - ou nos termos usuais: "corneado". Saiba de uma coisa... Esse risco é iminente, a probabilidade disso acontecer é muito grande, e só cabe a você, e a ninguém mais evitar que isso aconteça ou, então, assumir seu "chifre" em alto e bom som.
    Você deve estar perguntando porque eu gastaria meu precioso tempo falando sobre isso. Entretanto, a aflição masculina diante da traição vem me chamando a atenção já há tempos.

    Mas o que seria uma "mulher moderna"?

    A princípio seria aquela que se ama acima de tudo, que não perde (e nem tem) tempo com/para futilidades, é aquela que trabalha porque acha que o trabalho engrandece, que é independente sentimentalmente dos outros, que é corajosa, companheira, confidente, amante...
    É aquela que às vezes tem uma crise súbita de ciúmes mas que não tem vergonha nenhuma em admitir que está errada e correr pros seus braços...
    É aquela que consegue ao mesmo tempo ser forte e meiga, desarrumada e linda...
    Enfim, a mulher moderna é aquela que não tem medo de nada nem de ninguém, olha a vida de frente, fala o que pensa e o que sente, doa a quem doer...

    Assim, após um processo "investigatório" junto a essas "mulheres modernas" pude constatar o pior:

    Você será (ou é) "corno", a menos que:

    - Nunca deixe uma "mulher moderna" insegura. Antigamente elas choravam. Hoje, elas simplesmente traem, sem dó nem piedade.
    - Não ache que ela tem poderes "adivinhatórios". Ela tem de saber - da sua boca - o quanto você gosta dela. Qualquer dúvida neste sentido poderá levar às consequências expostas acima.
    - Não ache que é normal sair com os amigos (seja pra beber, pra jogar futebol...) mais do que duas vezes por semana, três vezes então é assinar atestado de "chifrudo". As "mulheres modernas" dificilmente andam implicando com isso, entretanto elas são categoricamente "cheias de amor pra dar" e precisam da "presença masculina". Se não for a sua meu amigo... bem...
    - Quando disser que vai ligar, ligue, senão o risco dela ligar pra aquele ex bom de cama é grandessíssimo.
    - Satisfaça-a sexualmente. Mas não finja satisfazê-la. As "mulheres modernas" têm um pique absurdo com relação ao sexo e, principalmente dos 20 aos 38 anos, elas pensam em - e querem - fazer sexo todos os dias (pasmem, mas é a pura verdade)...bom, nem precisa dizer que se não for com você...
    - Lhe dê atenção. Mas principalmente faça com que ela perceba isso. Garanhões mau (ou bem) intencionados sempre existem, e estes quando querem são peritos em levar uma mulher às nuvens. Então, leve-a você, afinal, ela é sua ou não é????
    - Nem pense em provocar "ciuminhos" vãos. Como pude constatar, mulher insegura é uma máquina colocadora de chifres.
    - Em hipótese alguma deixe-a desconfiar do fato de você estar saindo com outra. Essa mera suposição da parte delas dá ensejo ao um "chifre" tão estrondoso que quando você acordar, meu amigo, já existirá alguém MUITO MAIS "comedor" do que você...só que o prato principal, bem...dessa vez é a SUA mulher.
    - Sabe aquele bonitão que, você sabe, sairia com a sua mulher a qualquer hora. Bem... de repente a recíproca também pode ser verdadeira. Basta ela, só por um segundo, achar que você merece...Quando você reparar... já foi.
    - Tente estar menos "cansado". A "mulher moderna" também trabalhou o dia inteiro e, provavelmente, ainda tem fôlego para - como diziam os homens de antigamente - "dar uma", para depois, virar pro lado e simplesmente dormir.
    - Volte a fazer coisas do começo da relação. Se quando começaram a sair viviam se cruzando em "baladas", "se pegando" em lugares inusitados, trocavam e-mails ou telefonemas picantes, a chance dela gostar disso é muito grande, e a de sentir falta disso então é imensa. A "mulher moderna" não pode sentir falta dessas coisas...senão...

    Bem amigos, aplica-se, finalmente, o tão famoso jargão "quem não dá assistência, abre concorrência".

    Deste modo, se você está ao lado de uma mulher de quem realmente gosta e tem plena consciência de que, atualmente o mercado não está pra peixe (falemos de qualidade), pense bem antes de dar alguma dessas "mancadas"... proteja-a, ame-a, e, principalmente, faça-a saber disso.

    Ela vai pensar milhões de vezes antes de dar bola pra aquele "bonitão" que vive enchendo-a de olhares... E vai continuar, sem dúvidas, olhando só pra você!”

    (Arnaldo Jabor)

    quinta-feira, 17 de novembro de 2011

    Da série coisas que me irritam: gente que precisa carpi um lote

    Isso mesmo! Me irrito com quem pensa pequeno, tem como único assunto falar mal dos outros e única perspectiva a roupa que vai usar no Natal. Gente que gasta horas e horas pensando que foto por no perfil do facebook, se fulano e ciclano ainda estão juntos e se Comic Sans é uma boa fonte para usar no MSN.
    Me estresso com quem pensa pequeno, mas faz questão de querer demonstrar que é grande. Quem muito quer provar pouco faz. Se a pessoa é tão boa, relax, de bem com o mundo e intelectual, não precisa ficar filosofando sobre isso. Até porque se fosse realmente inteligente, saberia disso.
    E o pior! O pior é achar que o resto do mundo também é assim e tem a obrigação de viver nesse ritmo. O tempo voa, as coisas estão acontecendo e estão acontecendo agora! Ou se corre atrás do que acredita, ou fica esperando o tempo passar.
    Não me interessa o quanto você bebeu no final de semana, em quantas festas foi, que o cachorrinho da sua vizinha está com tuberculose ou que o Orkut mudou (porque gente assim ainda tem Orkut).
    Quer esperar o tempo passar? Boa sorte! Mas não me peça pra esperar contigo.

    Vai carpi um lote que tu ganha mais! #prontofalei


    “O mal que os homens praticam sobrevive a eles; o bem quase sempre é sepultado com eles.”


    quarta-feira, 16 de novembro de 2011

    Quando a (in)justiça bate na porta...

    Quando passamos por problemas de verdade, percebemos como tem gente que pensa pequeno e como vivemos num país que nunca irá pra frente. É frustrante ver que nada funciona pela televisão, ler absurdos nos jornais. Mas quando nós precisamos de alguma ajuda, é humilhante ver que nada funciona.
    Quando se fala em ‘entrar na justiça’, todos têm o mesmo pensamento, ‘mas daí vai demorar anos e não vai resolver nada’. Pois é, esse é o país que a gente vive. Onde quem mata e machuca o próximo fica impune e quem passa por situações sérias precisa viver preso dentro de suas próprias casas para se defender como pode.
    Gente mesquinha, funcionários que passaram em concurso para ter estabilidade, trabalham esperando chegar 18h, chegar o final do mês, para pegar seu salário e ir embora. Pessoas que trabalham com pessoas, que servem para ajudar quando não se tem mais pra onde correr, e que cruzam os braços.


    Sei que, como no post da UCS, esse também não vai adiantar nada, mas precisava desabafar!


    sexta-feira, 11 de novembro de 2011

    11/11/11

    Como uma data pode causar tanto alvoroço? Eu sou daquelas que se empolga com tudo! Amo Natal, amo amigo-secreto, cidade enfeitada, panetone. Amo fazer aniversário. É o único dia que abro meu Orkut (sim, ainda tenho um!) só pra ver milhares de recadinhos. Às vezes penso que sou do País das Maravilhas, mas não entendo mesmo é quem vive no Mundo das Trevas.
    É lógico que o mundo não ia acabar e que nada ia mudar. Tirando a véspera de um feriadão, hoje é uma sexta-feira como qualquer outra. Mas me deixa ser feliz? Obrigada!
    Não entendo quem reclama de tudo. Eu também reclamo, bastante até, mas tenho momentos de bobeira. Achei divertidíssimo ver o relógio do computador marcar 11/11/11 11:11. Não mudou absolutamente nada na minha vida, mas por um minuto fiquei na expectativa e tirei meus pensamentos dos problemas e compromissos de todos os dias.
    Por um minuto pensei o que poderia fazer diferente. Pensei positivo, irradiei boas vibrações, pensei com carinho em quem eu amo e desejei que tivessem um dia maravilhoso. Por um minuto recebi boas vibrações, de outras milhares de pessoas que encararam a data da mesma forma.
    Cada um cada um, quem acha bobagem tudo bem. Mas só acho que pensar positivo mudou meu minuto positivamente, e você? Que passou esse um minuto reclamando? Não mudou nada na vida de ninguém, mas ainda acho que eu sai ganhando!







    “O pessimista vê dificuldade em cada oportunidade; o otimista vê oportunidade em cada dificuldade.”

    quarta-feira, 9 de novembro de 2011

    Olha a luz que brilha de manhã...

    E deixe-a entrar na sua vida. Deixe cada dia ser único, cada oportunidade ser aproveitada, cada momento ser especial.
    Todos os dias são especiais para quem vai atrás do que quer. Momentos de névoa são naturais, tem dias que as coisas simplesmente dão errado e só queremos que o dia acabe, o que não podemos deixar é esses dias serem assim todos os dias.
    Diga a quem você ama o quanto são especiais, saia com seus amigos, beije, fique com sua família. Não deixe seu trabalho para a última hora, não leve trabalho para casa, passeie com seu cachorro, coma sua comida preferida.
    Não surte à toa (olha quem falando!), converse, fale o que te incomoda, peça conselhos, mas no final ouça seu coração. Faça o seu melhor, o esforço um dia vai valei a pena, eu acredito!
    Acredite! Acredite nas pessoas, por mais difícil que possa parecer. Você vai se decepcionar algumas vezes, mas eu acredito que mesmo assim valha à pena.
    Tenha um hobby, nem que seja fofocar e tomar cerveja no final do dia. E faça o que te faz bem sempre que puder.
    Perdoe. As pessoas são diferentes, pensam diferentes, não leve tudo ao pé da letra. Todos vão te decepcionar um dia, mas pense em tudo que essa pessoa já fez de bom antes de julgar. Aceite as diferenças.
    E sorria. Sorria com vontade, sorria para estranhos, cumprimente as pessoas, agradeça quem te fizer bem. O tempo passa rápido e a vida é muito curta para perdermos o bom humor com qualquer coisa.
    Guarde sua tristeza e suas lágrimas para momentos que realmente precisem, quando não for necessário, sorria!



    "Muita coisa que ontem parecia importante ou significativa amanhã virará pó no filtro da memória. Mas o sorriso (...) ah, esse resistirá a todas as ciladas do tempo."

    terça-feira, 8 de novembro de 2011

    Até que a incompatibilidade de gênios nos separe


    Na total falta de inspiração, resolvi copiar na íntegra o texto da jornalista Greice Tedesco do seu blog Felizes para sempre

    “Os casais não devem olhar um para o outro, mas para a mesma direção. A frase não é minha, mas é uma das melhores que já ouvi e consegue explicar porque tantos relacionamentos chegam ao fim. O amor é pura sintonia. Quando temos afinidades e sonhos comuns é um deleite estar na companhia de outro alguém.
     Há tempos queria escrever sobre separação. Para mim que torço pela durabilidade dos relacionamentos era um desafio. Tinha medo de não encontrar as palavras adequadas e que acabasse passando a ideia errada. Atualmente as relações se tornaram tão vulneráveis que o simples fato de abordar o assunto poderia representar um incentivo a chutar o balde.
    Eu tinha a impressão que acabar um namoro ou um casamento era como fracassar na tentativa de fazer as coisas darem certo. Mas, em casos de incompatibilidade de gênios, ficar junto é como remar contra a maré quando não se tem mais forças.
    Desculpem a comparação, mas é o mesmo que insistir naquela calça que não cabe mais. Ao tentar colocá-la todos os dias você sofre, ela machuca, gera frustração, e você diz a si mesma: se eu tiver paciência e emagrecer tudo vai ficar perfeito como antes. Mas a calça é do tempo que você tinha 15 anos, não é mais adequada, só você é que não viu! Ela vai cair bem em outra pessoa e você descobrirá que existe outra ideal para o seu novo perfil.
    A verdade é que quando estamos com a pessoa certa não é preciso fazer esforço algum, as coisas simplesmente fluem. Ou seja, o outro tem uma habilidade natural de nos fazer felizes.
    Muitos relacionamentos acabam porque o outro não nos compreende. Ele não tem empatia pelo que sentimos, porque sua natureza é diversa da nossa. Por exemplo, um olha para dentro (família, emoções, espiritualidade) e outro olha para fora (bens materiais, estudo, trabalho) e não há conexão entre eles.
    Não existem culpados. As pessoas são o que são. Ou aceitamos sua essência ou não. Você pode querer que a pessoa mude porque a ama, mas ela só vai mudar se fizer sentido e for importante para ela, não só porque você está pedindo. Não é tão simples quanto parece. Sei que na hora que o relacionamento está em risco, por medo de perder, nós fazemos cobranças e prometemos coisas, mas se pudéssemos observar a situação de fora é provável que libertássemos o outro para ser feliz a sua maneira. Porque ao exigir mudanças violentamos a personalidade dele.
    Não deveríamos mendigar afeto e companhia, nem cobrar casamento ou filhos. Muito menos pedir maturidade, romantismo, doação, pró-atividade. Isso é humilhante para ambas as partes. Para o relacionamento dar certo é preciso olhar para a mesma direção.”